viagem

para mirella, coração do mundo

Tinha 17 anos e fugia de casa. Levou uma mochila cheia e os dois cachorros, Janaína e Cocaína. Não sabia pra onde ia, apenas gastava os tênis novos enquanto pensava. É a coisa mais humana que existe. Andar. Lembranças de um nomadismo de antes de existirem os táxis e as cadeiras estofadas, quando tudo que se fazia era andar e andar. E pensar. A medida do quanto uma pessoa pensa está nas solas dos seus sapatos. Andou uns 40 minutos, entardecia, os cachorros volta e meia mijavam, volta e meia provocavam os cachorros dos outros quintais. Já era outro bairro, os ônibus que passavam tinham nomes desconhecidos. As cadelas arfavam, e agora o quê? Sentou numa padaria com mesinhas de plástico, e viu a novela passar na tv. Tomou um refrigerante e depois outro e depois outro. Comprou uma coxinha, e a partiu entre os cães que olhavam hipnóticos – é apenas pra isso que eles usam a força da mente. Assistiu à novela. Não aquela. Outra. E agora o quê?Deixou uns trocados na mesa da padaria. Levou a mochila. Levou os Cachorros. Deixou a menina. Tinha 18 anos e voltava pra casa.

e um negócinho a mais: eu escrevi um texto prum projeto do daniel, colega meu. O conto não é nada demais, mas a arte ficou bem bacana. Pra quem quiser, tá aí embaixo.

petit

Anúncios

18 comentários sobre “viagem

  1. Minha querida Czarina. Só peço a quem considero necessário e aprecio o conteúdo. E você já está na minha acidez, apesar de nunca tê-la visto passear por lá. Então, deixa o tempo nos conduzir e que eu faça por merecer a atenção da czarina, né?

    Beijocas procê.
    Obs: Sim, neste último saiu assim, com final triste.

  2. Estava passeando pela net e vi este espaço magnífico. Adorei o microconto. A necessidade do outro é uma faca de dois gumes, no outro há o reconhecimento. Neste caso, os pais podem ser um reflexo tortuoso da “mochileira”. Contudo, as vicissitudes da vida exigem este elo quase inquebrantável. É isso daí, continue viajando!

    Passerei mais vezes por aqui. Adicionei-te.

    Um forte abraço!
    Antônio Alves

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s